A tendencia é ser feliz!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Será que somos Super Mulheres?

Oie, olha eu aqui de novo prá falar um pouquinho como está sendo meus dias depois que voltei prá Universidade.
Pois é, faz duas semanas que voltei a estudar, decidi fazer Administração. Á um tempo atrás eu estava fazendo Recursos Humanos, estudei de manhã também, mas não deu certo porque meu filho mais novo ainda mamava no peito e ele estava sofrendo com a distancia, eu chegava em casa e automaticamente tinha que dar mama prá ele, tadinho ficava desesperado, porque ele não pegava mamadeira, e pior, quando se está na faculdade você não tem mais tempo prá nada, eu fazia trabalho com ele no colo,  o mais velho querendo atenção, os dois pediam as coisas e eu ficava perdida, quase enlouqueci, as vezes eu tinha que fazer um trabalho e o Bruno não dormia e nem queria brincar sozinho, ele só queria meu colo, me sugava literalmente, ai decidi de uma hora prá outra trancar a matricula da faculdade, eu não conseguia lidar com tudo isso sozinha, sem ter ninguém prá me ajudar, mãe e sogra morando longe, nenhuma irmã, ou tia perto, ai acabei desistindo, sofri muito mas acho que foi melhor naquele momento.
Depois de quase três anos voltei a estudar, em outro curso, mas acho que foi a melhor escolha que fiz, pensei assim; se for prá voltar prefiro fazer um curso completo e não um curso técnico, agora meus meninos estão maiores, o pequeno está na escola e não tenho mais aquela preocupação de amamentar, e eu estou bem mais tranquila prá continuar aquilo que eu decidi fazer, sempre foi a minha vontade sabe, mas tudo acontece no momento certo, acho que da outra vez não era o momento certo mesmo, me convenci disso e não me arrependo.
Eu sempre fui uma pessoa independente, mas depois que me casei fiquei totalmente dependente do meu marido prá tudo, ficava mal por isso, chorava tanto, por que eu me cobrava de não trabalhar mais fora, de ganhar meu próprio dinheiro, ai decidi fazer artesanato, ganhei uma graninha boa, mas tudo que é demais cansa, sempre tive o artesanato como um hobby, mas decidi ganhar com um dinheiro com esse dom, depois de um bom tempo fazendo artesanato eu parei, cansei, (não parei definitivo, logo eu volto a fazer minhas costurinhas)..rsrsr.
Como disse nossa amiga Marcela no blog dela, sobre mulher ser sexo frágil, aff que besteira né, quem inventou essa frase não sabia do que uma mulher era capaz!
Mesmo não trabalhando fora a nossa vida é uma correria só, (e eu procurando mais coisas prá fazer), agora eu estudo de manhã, chego em casa esquento o almoço, arrumo o Denis prá ir na escola, dou almoço pra ele, arrumo a casa e depois ainda esquento a minha cabeça com os trabalhos da faculdade, mais tarde pego meu pequeno na escola, passo na padaria, dou café da tarde prá ele, (porque ele chega em casa e quer tomar café), fico com ele assistindo um pouco de desenho, depois já vou fazer a janta, dou banho nos meninos, aff cansei...ainda preciso cuidar de mim, fazer unha, secar cabelo, dar atenção pro marido, minha gente do céu, a nossa vida é uma loucura total!!! Como nós mulheres suportamos me diz?!
Será que somos super mulheres e nem nos damos conta hein?!
Mas sinceridade, não troco essa agitação por nada, apesar de algumas vezes eu parecer que vou surtar...kkkkkkkk, mas isso faz parte, depois é só dar um passeio no shopping que tudo passa, ou então comer um chocolatinho...kkkkkk
Mas falando sério, tudo que eu faço é com amor, é tudo por que eu quero, eu adoro minha vida de mãe e dona de casa, mas espero um pouco mais de mim mesma, por isso voltei a estudar e com fé em Deus vou conseguir chegar até o fim, sei que não vai ser fácil, mas vou conseguir!
É isso minha gente, somos Mulheres de garra e por isso suportamos tudo com muita força, coitado do homem que duvidar do que uma mulher é capaz!rss
bjoss

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Dia dos Pais

Eu falei que ia postar algo sobre o dia dos pais..rsrrs

Pois é, domingo foi um dia tranquilo, fizemos um almoço bem gostosinho, com direito a peixe assado (meu pai adorava), peixe frito, aff as crianças amaram!
O papai ganhou presente, (adiantado mas ganhou), graças a Deus foi tudo uma benção.
Fiquei um pouco tristinha, o dia estava estranho( prá mim), mas correu tudo bem.

Só temos que agradecer a Deus por tudo sempre!

Boa tarde!

 : 0 )

sábado, 13 de agosto de 2011

Historia de um pai

É...dia dos Pais chegando... domingão tá ai, com certeza vai ter aquele almoço gostoso, família reunida, filhos, e pelo segundo ano eu não vou ter meu pai aqui prá comemorar...lógico que eu consigo lidar com essa falta, mas que as lembranças veem na cabeça, isso não tem como apagar né?!
Tenho muitas lembranças do meu pai, muitas mesmo, essa semana mesmo eu estava conversando com meus meninos sobre as coisas que eu aprontei quando eu era criança, das vezes que meu pai corria atrás de mim prá me pegar, porque eu aprontava poucas e boas..rsrsrs, gente do céu como eu era terrível!!! Meu pai sempre foi um general, meio marrudo,  emburrado, me lembro que quando ele sorria a gente até comentava, eu e as minhas irmãs, porque eram raros esses momentos, acho que foi o tipo de criação dele, sei lá, apesar dele ter tido muitos problemas com minha mãe, ele não era um pessoa ruim prá gente. Na verdade eu comecei a ter pai depois dos meus 20 anos de idade, quando eu sai de casa prá morar com meu marido, e depois que eu fiquei grávida, foi ai que minha relação com meu pai melhorou, acho que caiu a ficha dele também, estava envelhecendo, a família estava crescendo, ele ia ser avô. Prá falar a verdade eu nunca tinha pensando qual sentimento ele teve depois que se tornou avô, acho que ele se sentiu o máximo, ficou orgulhoso, ainda mais porque falavam que meu filho era a cara dele, ai ele se enchia todo..rsrss
Sei que depois que eu mudei da casa dos meus pais minha vida mudou muito, percebi que eu podia contar com meu pai, ele sempre estava pronto a me ajudar, lógico que tudo era novo prá mim também, eu não estava acostumada com tanta prontidão da parte dele, mas confesso que estava gostando da mudança.
Passaram os anos e começamos a nos entender muito mais, algumas vezes tínhamos nossas briguinhas, discórdias, mas nada grave, coisa de família mesmo. Lembro que eu e minhas irmãs sempre combinávamos de comprar os presentes dele no aniversário e dia dos pais, ele adorava ganhar presentes. Minha mãe ficava morrendo de ciumes, ela achava que a gente adulava mais o meu pai do que ela, (ciumes de mãe), mas a gente sempre adulou muito ela também, ela não tem oque reclamar..rss
A nossa vida sempre foi muito difícil quando eramos crianças, meu pai nunca foi tão presente quanto deveria, minha mãe sofria com ele, infelizmente eu criei na minha cabeça uma raiva e um rancor dele, que só foi passar depois que eu tive meu filho.
Acho que eu nunca comentei isso com minha mãe, ou minhas irmãs, mas eu comecei a considerar meu pai depois de adulta sabe, eu nunca pensei que conseguiria valorizar ele de novo, graças a Deus ele sempre foi uma pessoa muito trabalhadora, disso nunca podíamos reclamar, o problema dele era o gênio forte demais, sempre queria bater de frente com todo mundo. Mas sei lá, acho que a gente de alguma forma fez com que ele mudasse o jeito dele de se comportar (um pouco), não era de muitos amigos, (isso era oque a gente achava, logo vocês vão saber o por que?), mas ele mudou também por que Deus tinha um plano na vida dele, ele se converteu, se tornou evangélico, mudou muito com a religião, acho que se Deus não tivesse tido misericórdia da vida dele, ele teria perdido a vida dele e a família dele a muito tempo. Engraçado que quando eu sabia que meu pai viria na minha casa, eu logo preparava a comida que ele mais gostava, ia na feira comprar as frutas que ele gostava, fazia sobremesa, era tão automático, pior que minhas irmãs faziam a mesma coisa..hehehe era muito engraçado.
Sei lá eu achava que tinha que agradar ele de alguma forma, acabei me afeiçoando muito a ele, simplesmente apaguei da minha mente tudo de ruim que ele tenha causado na minha infância.
Minha mãe tinha um restaurante aqui em São Paulo e quando ele se aposentou (era policial), ele ajudou ela por um muito tempo, depois ela fechou o restaurante e eles foram morar no interior de São Paulo, era legal a gente ir visita los, as crianças adoravam o avô, meu pai adorava pescar e com isso fez com que os meninos gostassem também, acho que ele conseguiu ensinar coisas legais para os netos.
Dia 05/08 era para o meu pai fazer aniversário, 57 anos se não me engano..., com certeza ia ter bolo, presentes, comemoração, mas não teve nada disso, porque em dezembro deste ano vai fazer 2 anos que meu pai se foi, ta lá no céu...triste né?! Meu pai sofreu um acidente quando estava finalizando um serviço, era o ultimo dia de serviço dele, ele estava cantando e feliz, disse que realmente iria se aposentar de vez, que estava cansado, queria aproveitar a família...os netos, ele tinha acabado de ganhar mais um netinho, fazia 15 dias, estava muito feliz mesmo.
Mas ele não conseguiu seguir adiante, sofreu um acidente que levou a vida dele, super jovem ainda, com tantas coisas pela frente, tantas coisas prá vivenciar... mas ele se foi.
Tenho muitas lembranças dele, mas as boas são as que pesam mais na minha consciência, sinto saudade, sinto falta, prá falar a verdade ainda dói quando eu paro prá pensar, nem dá prá acreditar mesmo passado tanto tempo, mas é uma realidade, ele não está mais aqui. No enterro dele tinha tanta gente, tantas pessoas que gostavam dele que ficamos impressionados, a gente achava que ele não tinha amigos, mas ele tinha sim, muita gente gostava dele, foi legal saber disso.
Acho que a dor, a falta, a saudade tudo ameniza com o tempo, mas me sinto feliz por ter conseguido guardar coisas boas, sinto falta do pai que eu conheci nesses últimos dez anos da minha vida...meu pai  não era um dos melhores, mas aos poucos ele tentou se tornar o melhor.

Seu não, era sempre acompanhado de um sim, era como uma criança sempre querendo chamar atenção, deixou uma marca em cada um de nós, uma ferida aberta que vai demorar a cicatrizar e como toda ferida deixa sua marca em nossos corações, a saudade é imensa, não tem como mensurar!
 ( Frase da minha irmã Patricia).


                                                                    Dorme com Deus pai.*






(Eu quis escrever algo sobre o meu pai antes do dia dos pais, agora para o dia dos pais eu escrevo outro post, contando como foi o Dia dia Pais aqui em casa.) bjosss








quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Depressão Paterna


Olá, hoje estava pensando sobre esse assunto, "depressão paterna".
Logo que a mulher descobre que está grávida é uma festa, vários preparativos, as roupinhas, o quarto do bebê, a expectativa prá saber o sexo e como será o nome do bebê.
Mas é o pai, ele também se sente eufórico com toda essa mudança? Sim, com certeza porque ele se sente responsável por continuar com a linhagem familiar, cria expectativas, fica em duvida se quer um menino ou uma menina, entra no mundo da mulher sem perceber e se inunda dessa fantástica evolução materna.
Com isso ele também entra em depressão, assim que o bebê nasce ele se sente excluído e rejeitado pela esposa, que está apenas encantada com aquele pequeno ser que acabou de nascer,  lógico que o bebê precisa de muitos cuidados e muita atenção. Com isso o marido se isola, se entristece, mas eu acho que a melhor forma de você saber lidar com esse problema é incluir seu marido em todas os programas relacionados ao bebê, nas tarefas do dia a dia, no banho, na troca de fraldas,na consulta ao pediatra,  eu acho tudo isso muito importante, porque divide também suas tarefas e com isso não te deixa tão cansada.
Existem mulheres que acham que o marido não tem jeito prá cuidar dos filhos, não deixam sozinhos com o pai de jeito nenhum, mas eu acho que isso é puro preconceito, achar que os homens não são capazes de cuidar.
No meu caso sempre fiz questão que meu marido participasse de tudo, desde as consultas de pré natal, até na hora de cuidar, depois do nascimento então..., nunca tive preconceito de nada, prá falar a verdade até hoje eu deixo os meninos com ele quando eu preciso e ele cuida direitinho.
Acho que temos que dividir as responsabilidades de igual prá igual. Acho que filho não é propriedade da mãe , e o pai precisa sim ser incluído nessa nova fase da vida deles também.
E vocês, tiveram problemas em relação a isso???

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Entrevista de emprego

Diazinho corrido hoje hein, fui a uma entrevista de emprego hoje a tarde, bom... acho que fui bem, estou no padrão que eles querem, só pequei no quesito "inglês", infelizmente não tenho curso de inglês, e acho que isso pesou um pouco, era uma vaga e 8 candidatos, tinha uma candidata lá na entrevista que tinha morado em Londres por 6 anos, mas não tinha experiencia nenhuma prá vaga, o outro era professor de inglês, mas estudava processamento de dados, a outra tinha se formado no  semestre passado e morava em guaianazes, a outra tinha acabado de casar e fazia uma semana que tinha mudado prá São Paulo, veio de Minas Gerais, e por ai foi... Não é querendo me gabar mas eu era a unica ali que tinha trabalhado na área que eles estavam precisando, mas sem inglês, sempre tive vontade de fazer um curso de inglês, mas nunca sobrava, pensa...com duas crianças pequenas que jeito eu ia conseguir fazer um curso, agora sofro as consequências, mas não estou me sentindo derrotada, pelo contrário to confiante e Deus sabe oque é melhor prá mim.
Mas confesso que essa vaga seria ótimo prá começar na área que estou estudando, seria tudo de bom.
Quero muito com certeza, mas se não for dessa vez outras oportunidades virão, o negócio e entrar numa escola de idiomas e bola prá frente..rsss

beijinhos   ♥

Acabaram as férias...

Pois é, enfim as férias acabaram, acho que passou tão rápido, aliás o ano está passando rápido daqui a pouco é natal de novo...meu Deus!!!
Trabalhei as férias todinha e nem pude ficar com meus filhos direito, não conseguimos sair prá nos divertirmos, nem viajarmos, nada x nada...
Meu filho Denis quase surtou porque não sai prá lugar nenhum diferente e pior ele na idade que está não se consola com a casa da vó mais, ele quer sair, ir ao cinema, fazer coisas diferentes e me cobra muito por isso.
Infelizmente não tive tempo...fiquei com muita dózinha dele, mas fiz oque eu pude, tive que aguentar muita reclamação e cara feia...mas enfim passou!!! Por mais que ele tenha reclamado ele entende e me ajudou muito, graças a Deus meus filhos são umas bençãos!
E o Bruno que nem teve férias, porque a escola dele não tem férias no meio do ano, isso ajuda muito as mamães que trabalham e não podem ficar com os pequenos.
Eu estava trabalhando mas meu contrato acabou, já estou partindo prá outra, a faculdade começou de novo e vou ter que me dedicar muito, fico meio zonza com tantas coisas prá fazer e ainda ter que arrumar tempo prá sair com meus pequenos...mas eu adoro essa agitação.
Não suporto a mesmice, e nisso meu filho é igual a mim, ele também se cansa fácil de tudo que vira rotina, as coisas perdem a cor se não tem trabalho e agitação. Não suportamos ficar parados.
Mês que vem estamos querendo viajar, vou aproveitar o feriado de 7 de setembro e ir aonde eles querem, vamos pro interior, eu sinceridade não suporto mato e nem bichos, mas eles amam, "puxaram o pai nesse quesito."
Mas como nas férias não conseguimos fazer nada juntos vou fazer esse esforcinho por eles...porque depois é dedicação total para os estudos e viajar de novo só quando o pai deles sair de férias no fim do ano.
É bem complicado trabalhar, estudar e arrumar tempo prá família, mas a gente precisa arrumar um tempinho sempre, eu escolhi essa vida e não me arrependo por isso.
Sou feliz assim, podem me criticar, falar oque for, mas é dessa forma que sou feliz e me sinto totalmente útil !!!
Boa noite
: )